Vamos

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Racista, irresponsável !!!!

Para ver clic na imagem


"Casar com muçulmanos pode causar «um monte de sarilhos». Uma declaração que surpreendeu o auditório do Casino da Figueira da Foz. O Cardeal Patriarca de Lisboa deixa o alerta para as jovens portuguesas.
«Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Ala sabe onde acabam», salienta.
Durante a tertúlia 125 Minutos, com Fátima Campos Ferreira, na terça-feira à noite, Dom José Policarpo mostrou estar disponível para dialogar com a comunidade muçulmana em Portugal, mas salientou as dificuldades em conseguir chegar a este objectivo.
Com os judeus e os ortodoxos Dom José Policarpo explica que a convivência até se vai fazendo sem problemas, o mesmo já não acontece com os muçulmanos."

In Sapo


Fica à vossa consideração, a mim só me apetece chamar-lhe nomes,mais valia estar calado!

13 comentários:

Marreta disse...

Por mim era enviado para a Faixa de Gaza para servir de escudo humano a ambas as partes.

Saudações do Marreta.

ferroadas disse...

Parvo, racista, estúpido, analfabeto, inculto, que merecia, não digo um tiro nos cornos, mas uma valente carga de porrada. Ou então entreguem-no ao Bid Laden.

BJS

imagemdosom disse...

O Senhor perdoa os pobres de espirito.

Perdoai-lhe, Senhor!...

umquarentao disse...

A origem do TABÚ-SEXO

Nos tempos mais remotos da existência humana, o ser humano viveria duma forma em tudo semelhante à de outros animais mamíferos do planeta Terra. Consequentemente, podemos dizer que, nesses tempos mais remotos, as fêmeas humanas teriam possuído toda a Liberdade e Independência.

Depois, mais tarde, pela necessidade de luta pela sobrevivência, ou pela ambição de ocupar e dominar novos territórios, alguém fez uma descoberta extraordinária (um truque que permite alcançar uma vantagem competitiva demográfica): A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros 'úteros ambulantes'... para que as sociedades ficassem dotadas duma Vantagem Competitiva Demográfica!!!
De facto, quando as guerras eram lutas 'corpo-a-corpo' o factor numérico (número de combatentes disponíveis) era de uma importância decisiva... visto que esse factor era (frequentemente) determinante na decisão das Batalhas (e das Guerras).

Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência, ou pela ambição de ocupar e dominar novos territórios, alguém fez uma nova descoberta extraordinária: O TABÚ-SEXO!
O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor Rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!!! De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são 'particularmente sensíveis' para com os machos mais fortes...
Analisemos o Tabú-Sexo:
- a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
- as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social;
[portanto, como é óbvio, as mulheres eram pressionadas no sentido do Casamento];
- não devia haver sexo antes do Casamento;
- as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
- as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
- era proibido o divórcio.
Conclusão óbvia: o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas... de forma a que estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!! Dito de outra forma, o verdadeiro objectivo do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!


P.S.
Os Islâmicos reprimem os Direitos das mulheres - elas são tratadas como uns 'úteros ambulantes' - com o objectivo de obterem uma vantagem competitiva demográfica. Se eles não tivessem sido derrotados em 732 D.C. (em Poitiers), hoje em dia todas as mulheres na Europa andavam com burkas enfiadas na cabeça.

Pata Negra disse...

E se ele se casasse e se calasse?!
Um abraço em nome do pai

O Pinoka disse...

Discordo da tua opinião.
Temos que ter em conta o contexto em que aquilo foi dito. Se pelo menos a reportagem que passou nos telejornais for vista com atenção, chega-se facilmente à conclusão que nada foi dito com malícia e que inclusivamente tudo é verdade.
D. José Policarpo apenas defende as mulheres na sua generalidade, porque são elas de facto a parte mais fraca num casamento misto, são elas que ficam sujeitas num país Islâmico à perda de todas as liberdades e ele foca bem isso quando faz referencia a mulheres que casam com muçulmanos e vão para países Islâmicos e não a homens que casam com muçulmanas. Que achas que acontece a uma mulher que case com um afegão e que vá para o Afeganistão com ele? Achas que lhe atribuem um estatuto diferente e lhe concedem privilégios?
Em determinada altura o Cardeal diz ainda que se deve conhecer o Alcorão para perceber os muçulmanos. Isto é mau? A intenção com que as declarações foram proferidas e na conversa em que estavam inseridas nada tem a ver com a conotação que lhe atribuíram.
Outra coisa que não pode ser escamoteada é o facto de ser a Igreja Católica a instituição que mais tem trabalhado para o diálogo entre as diferentes religiões em Portugal.
Tens que concordar comigo que qualquer jornal abrir com uma frase de D. José Policarpo em que diz «Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Ala sabe onde acabam», segura de imediato o telespectador.

Beijocas

Jorge Borges disse...

Foi muito ousado o que disse, mas não teve papas na língua. Uma figura do calibre de D. José Policarpo deverá merecer a maior atenção ao ler nas entrelinhas daquilo que afirma.

Um abraço

mescalero disse...

O pior é que a maioria concorda com ele.

samuel disse...

Chama, chama, que a voz não te doa...

Zorze disse...

Mariazinha,

O que ele disse é das mais puras das verdades. Quem o nega?
Experimenta casar com um muçulmano ferrenho e depois fala comigo.
Eu até me dava bem, dependendo da minha condição financeira poderia ter prá ai umas três ou quatro mulheres. Só com muito azar estariam todas com o período ao mesmo tempo!
A verdade não escolhe pessoas nem contextos factuais.

Agora o que ele se esqueceu de dizer foi o contributo da religião cristã ao longo dos últimos séculos.

Se ele dissesse que toda e qualquer religião é uma grande mentira promovida para controlar e manipular povos, aí ele estaria a dizer a verdade total.

Beijos,
Zorze

Carlos Rebola disse...

...só faltou dizer que a vergonha da violência doméstica em Portugal é causada por maridos muçulmanos.
É isto o tal ecumenismo?!

Mariazinha disse...

Zorze:

Não está em causa o caracter das pessoas,até porque em portugal,muitos até vão aos domingos à missa com a família e frequeentam os serviços de prostitutas durante a semana.
O que está em causa é a responsabilidade que este senhor tem dentro da igreja católica.
Ainda por cima numa altura em que os ódios andam acessos...
Já agora se fores ao alentejo a relação entre marido e mulher,nas pequenas aldeias, não é muito diferente de qualquer aldeia em Marrocos.

Beijokas

ferroadas disse...

blá, blá, blá

onde anda a liberdade?

cada um é livre de escolher o que quer, casar com quem quer, falar como quer, agir como quer, nós só temos a liberdade de criticar ou não, eu critico o padre em causa, pois não lhe fica bem este tipo de frases vs conselhos, cada gaja casa e fornica com quem lhe der na real gana e ninguém tem nada com isso, só falta o tipo dizer às suas paroquianas a maneira de fo......d......er, se por cima, por baixo, por trás, etc., se o pode fazer com pretos, chineses e afins.

Casem e sejam felizes com quem queiram.

Se calhar foi o mesmo padre que deu "ordem" vs conselhos aos hospitais para não receberem sangue de homosexuais ou lésbicas.

Sejam livres e deixem os outros também o ser.

BJS