Vamos

quinta-feira, dezembro 13, 2007



O fotógrafo português Eduardo Gageiro, que inaugurou em Pequim uma exposição retrospectiva da sua obra, com fotografias do período entre 1951 e 2006, disse estar a viver o momento mais marcante da sua carreira.


"Esta exposição é a coisa mais importante que fiz na minha vida. Este é momento mais marcante da minha carreira", assinalou.
O embaixador de Portugal em Pequim, Rui Quartin-Santos, cortou a simbólica fita vermelha à entrada do Museu de Arte Mundial de 1500 metros quadrados, onde até 31 de Outubro Gageiro mostra 222 fotografias a preto e branco.
O fotógrafo referiu que expõe em Pequim "um tipo de fotografia diferente, com história, com humanismo, que faz as pessoas pensar", as mesmas que são o que mais gosta de fotografar desde o início da carreira.
"O ser humano é inesgotável. Nasci em Sacavém, onde em jovem convivi com grandes artistas que me deram lições de estética, mas o meu material humano sempre foram os operários fabris", acrescentou.
Agora vejam meus amigos o critério:
A nova campanha do governo para promover Portugal no estrangeiro deu a ganhar cerca de 350 mil euros ao fotógrafo britânico Nick Knight, pagos pelo Turismo de Portugal.
Como dizia o Pessa, " E esta hein!? "

5 comentários:

Miguel disse...

Quando é que nós portugueses começamos a dar valor ao produto nacional ...!?

O que é nacional, também é bom ...!

Bjks da M&M & Cª!

Marreta disse...

A velha e tacanha mentalidade portuguesa. Tudo o que é bom vem do estrangeiro. Neste país, quem tem mérito é reconhecido primeiro no estrangeiro e muito tempo depois (alguns quando já morreram) é reconhecido por cá.
Não acredito que não se arranjasse um fotógrafo por cá capaz de fazer o trabalhinho e, se calhar, até bem mais baratinho.
Saudações do Marreta.

ROADRUNNER disse...

Eles que me dessem os 350 mil euros que eu também tirava umas fotografias como aquelas.
Saudações!

J.Dias disse...

É o chamado complexo da mediocridade. Para certos portugueses (get-set, políticos e afins) o que é português não presta, isto para além do Gajeiro a par de Eduardo Cabrita (tio) e poucos mais, serem dos melhores do mundo.

BJ

Compadre Alentejano disse...

Santos de casa não fazem milagres.
O ministro da Economia levou este ditado a sério, e deu essa massa ao Nick Knigt,
Portugal tem bons fotógrafos e o serviço, concerteza, ficava de acordo com o esperado.
A isto se chama gerir mal a miséria que temos...
Beijinhos e um bom fim de semana
Compadre Alentejano