Vamos

quarta-feira, outubro 17, 2007



Ao que chegámos !!!

Em pleno 2007, tomar banho é ainda um «luxo» para muitas pessoas em Lisboa, residentes ou sem-abrigo, que encontram no balneário público de Alcântara, além de duche diário e roupa lavada, apoio e companhia nas horas de solidão, escreve a Lusa.
Construído na década de 30, durante o Estado Novo, o balneário público de Alcântara fornece actualmente uma média semanal de 500 banhos gratuitos, 300 a homens e 170 a mulheres, a maioria pessoas sem-abrigo.
No entanto, José Godinho, presidente da Junta de Freguesia de Alcântara, garante que já viu sair uma família inteira de dentro de um BMW para ir ao balneário.
A maior parte dos utentes não reside na freguesia (60 por cento), seguindo-se os residentes em Alcântara (30 por cento) e alguns estrangeiros (10 por cento).

4 comentários:

J.Dias disse...

Só num sistema capitalista, corrupto, mentiroso e explorador, é que podem surgir situações dessas. Num sistema organizado, socialista e solidário, de certeza não haveria lugar a banhos públicos, sopa dos pobres e afins.

O problema está no sistema que nos governa e não nas pessoas.

BJS

Marreta disse...

Um simples banho é um luxo para muita gente neste planeta, enquanto para outros uma piscina privativa luxuosa não passa de uma banalidade...
Saudações.

Belzebu disse...

A nossa sociedade cria este tipo de contrastes, bem no coração da capital. Lado a lado convivem o luxo e a mais inadmissível pobreza. Os mesmos que lançam os cidadãos para a miséria e indigência, aparecem depois todos paternalistas, dando migalhas como bons samaritanos!

Aquele abraço infernal!!!

C Valente disse...

A final o estado dito noveo ( este o que é) ainda fez alguma coisa.
Aqui tambem entra o facto educação/ formação
e depois ainda existe muita miséria
Saudações amigas