Vamos

sexta-feira, julho 21, 2006

Não devemos perder a memoria para que a História não se repita.

O Blitzkrieg (termo alemão para guerra-relâmpago) foi uma doutrina militar a nível operacional que consistia em utilizar forças móveis em ataques rápidos e de surpresa, com o intuito de evitar que as forças inimigas tivessem tempo de organizar a defesa. Seus três elementos essenciais eram a o efeito surpresa, a rapidez da manobra e a brutalidade do ataque, e seus objetivos principais a desmoralização do inimigo e a desorganização de suas forças (paralisando seus centros de controle). O arquitecto desta estratégia militar foi o general Erich von Manstein.

Com o círculo de violência no Médio Oriente a expandir-se de forma alarmante, é importante que fique claro não só quem são os responsáveis pela recente erupção, mas quem também tem mais a ganhar com a sua escalada continuada.Ambas as questões têm a mesma resposta: o Hamas e o Hezbollah. E Israel precisa de ter cuidado para que as suas respostas militares, moral e legalmente justificadas, não acabem por fazer avançar a agenda política que o Hamas e o Hezbollah tinham em mente quando executaram os raptos dos soldados israelitas que detonaram os combates.

( Nuno Guerreiro, New York Times )

Israel iniciou a ofensiva ao Líbano no último dia 12, quando oito soldados morreram e dois foram capturados pelos guerrilheiros do Hezbollah. Desde então, mais de 300 libaneses, a maioria civis, morreram na ofensiva israelita. Segundo a Unicef, os ataques fizeram com que mais de 500 mil libaneses abandonassem suas casas.

Já em Israel, 30 pessoas morreram entre civis e soldados, muitos vítimas de foguetes e mísseis lançados por guerrilheiros do Hezbollah, que atuam na fronteira sul do país.

( Portugal Diário )

I can't believe the news today

can't close my eyes and make it go away

how long how long must we sing this song

how long too long for too long ...


13 comentários:

Kaos disse...

Realmente "how long". Vivemos num mundo em que a vida humana tem cada vez menos valor. Séculos de história carregada de mortes e violencia parecem não nos ter ensinado a lição da hunmanidade e do valor da vida. Se calhar até ensinou, há é quem não queira aprender.
(Bela escolha a dos U2)
bjinhos

Savonarola disse...

Gostei da análise, feita como uma recolha de artigos, sugerindo assim fundamentação do argumento principal: a condenação da recente atitude de Israel face ao Líbano. Uma Blitzkrieg, seguida de um holocausto! E parece que a procissão ainda vai no adro - tristemente... Saudações amigas

jotadias disse...

A quem interessa esta "guerra"??

Aos povos da região (israelitas, palestinianos e libaneses) não interessa de certeza.

Não será esta a tão propalada "guerra" que o Buch queria com o Irão??

Vejamos:

De um lado Israel armado e financiado pelo USA e pelo poderoso loby judeu e petrolifero.

Do outro o Hezbollah financiado e armado pelo Irão e a Síria.

Já agora, será que os Israelitas vão querer um confronto directo com os guerrilheiros sem um apoio evectivo dos seus aliados americanos?

Não acredito.

BFS

CORCUNDA disse...

"I can believe the news today...". Pois as notícias irão continuar por muitos e muitos e muitos anos...

Sofia disse...

Mais um "sunday bloody sunday"? Quantos mais??
Abraços,

Eric Blair disse...

Pois, mas já se tem vindo a repetir...

xicoxperto disse...

Desde o início que me parece haver alguém interessado em arranjar motivos para se "atirar" ao Irão sem ter de prestar contas à inútil ONU. Claro que, como sempre, quem se lixa é o mexilhão e a imagem de inocência dos terroristas fica a ganhar com a as vítimas civis. Do que o povinho se esquece é que no Hezbollah todos são "civis" e a guerrilha está, propositadamente nos bairros e com a conivência do povo xiita.
Aos defensores de ataques apenas a alvos militares pergunto: quantas bases militares israelitas foram atingidas? Ou será que as lojas de Aifa são militares.
Deixemos a hipocrisia para os políticos e analisemos os factos.

xicoxperto disse...

Aifa? deve ser do adiantado da hora. Haifa!!! (Lol)

js disse...

...qualquer opinião sobre o tema dificilmente será imparcial e terá em conta todos os factores que levam há existência da invasão do sul do Libano por Israel... eu, se não fosse o facto de tantas vezes os muçulmanos fazerem a guerra entre eles ...diria que o culpado disto foram os idiotas que deram território para Israel se implantar naquele local... ou mais...o culpado foi Hitler porque não matou todos od Judeus...

PiresF disse...

Não comento mas comungo da tua preocupação.

Um abraço.

Desinformador disse...

Parece que vai continuar por demasiado tempo! Há 15 dias já era demasiado tempo...

(obrigado pela visita?

Kaos disse...

Vim só, mais uma vez, deixar um beijo e dizer que embora esteja de férias não me esqieci de voçes.
beijinhos

Klatuu o embuçado disse...

A guerra é sempre peste.