Vamos

sexta-feira, maio 23, 2008


Os numeros da diferença em Portugal
1 em cada 5 portugueses vive no limiar da pobreza (21% da população total)
12.4% da população activa (5531.6) ganha o salário mínimo nacional (374,7€)
7,2 % da população activa está desempregada; em 2003, mais de 5000 trabalhadores tiveram o seu trabalho reduzido ou suspenso;
26,3% dos reformados recebe menos de 200€/mês de reforma
147 332 recebem o Rendimento Social de Inclusão (151,84€)
79,4% da população activa não terminou o ensino secundário45,5% da população, em idade escolar, abandona de forma precoce a escola.
Taxa de Analfabetismo, em 2001, era 9,0% da população.
300 mil famílias (8% da população) viviam, em 2001, em habitações sem condições mínimas.
Em relação aos dados de 1999 e 2000, há um agravamento de 20 a 25% da situação de pessoas sem-abrigo.
A taxa de Analfabetismo, em 2001, era de 11,5% para as mulheres e de 6,3% para os homens*Os homens ganham mais 9% do que as mulheres*A taxa de Desemprego, em 2002, era de 55,2% para o género feminino.
Em 2004, 240 730 mil eram famílias monoparentais femininas, num universo total de 275 826 mil. Em 2003, 69% da população dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção, seram mulheres.

Por outro lado:
-As 100 maiores fortunas portuguesas representam 17% do Produto Interno Bruto Nacional – 22.4 mil milhões de euros.
O país tem a pior distribuição de riqueza no seio da União Europeia com os 20% mais ricos a controlar 45.9 por cento da rendimento nacional.
10 800 pessoas têm rendimentos de cerca de 816 mil euros anuais.
Em 2001, a Segurança Social gastou com cada português apenas 56,9% do que habitualmente gastam os outros países da União Europeia.
(In Oikos)

6 comentários:

ferroadas disse...

E diz o Sócrates mais a sua cambada de clones, fome em Portugal não há. A esquerda é que inventa tal coisa.

BJS

Marreta disse...

É o sucesso da política e dos políticos que sucessivamente nos têm governado. É a verdadeira alternância democrática a funcionar!
Enquanto o povinho quiser eles por lá vão continuar e nós por cá vamos pagando as favas.
Saudações do Marreta.

Zorze disse...

São os números da nossa vergonha. E, infelizmente, não vejo num futuro próximo algo que mude este estado de coisas.

Beijos,
Zorze

C Valente disse...

Saudações amigas

Compadre Alentejano disse...

Nós podemos não prestar, mas este governo ainda presta menos...
O sr.sócrates diz que os números da fome são de 2004, mas não diz que esses valores pioraram até hoje...
O desemprego desceu porque foram eliminados os que desistiram de procurar emprego, isto ele não fala...
Um beijinho
Compadre Alentejano

C Valente disse...

Adeus mundo cada vez pior
Bom fim de semana
Saudações amigas