Vamos

domingo, fevereiro 04, 2007

Manda Quem pode, obedece quem deve
"Não discutimos Deus e a virtude. Não discutimos a pátria e a sua história. Não discutimos a autoridade e o seu prestígio. Não discutimos a família e a sua moral. Não discutimos a glória do trabalho e o seu dever."
"Em política, o que parece é."
"Sei muito bem o que quero, e para onde vou!"
"Não devemos deixar entrar a desordem onde há ordem."
"Meia dúzia de safanões a tempo."
"Para Angola, rapidamente e em força."
"A nação não se discute."
"Não se pode, ao mesmo tempo, governar e encantar a multidão."
"Tudo pela nação, nada contra a nação."
"Devo à providência a graça de ser pobre."
"Quem não é patriota não se pode considerar português"
"As Nações Unidas são inúteis. São também nocivas. Não passam de um terreno onde floresce a demagogia com um bando de países recém nascidos, desprovidos de qualquer tradição.
"Ensinai aos vossos filhos o trabalho, ensinai às vossas filhas a modéstia, ensinai a todos a virtude da economia. E se não poderdes fazer deles santos, fazei ao menos deles cristãos".
"Vós pensais nos vossos filhos, eu penso nos filhos de todos vós".
"Estado é a Nação socialmente organizada".
"As discussões têm revelado o equívoco, mas não esclarecido o problema; já nem mesmo se sabe o que há-de entender-se por democracia".
"Decididamente, decisivamente, pela Nação, por nós e ... até por eles".
"No dia em que eu abandonar o poder, quem voltar os meus bolsos do avesso só encontrará pó."
"Portugal nasceu à sombra da Igreja e a religião católica foi desde o começo o elemento formativo da alma da nação e o traço dominante do carácter do povo português."
"Não tem que agradecer-me ter aceitado o encargo, porque representa para mim tão grande sacrifício que por favor ou amabilidade o não faria a ninguém. Faço-o ao meu País como dever de consciência, friamente, serenamente cumprido".
- No discurso de posse como ministro das Finanças
"Vejam os ingleses, que recebo milhares de refugiados judeus em trânsito para a América. E que não os interno em campos de concentração, mas hospedo-os em hotéis perto do mar, nas Caldas da Rainha, na Figueira da Foz. Mas quando em 1945, Hitler se suicidar, para escândalo dos ingleses mandarei pôr a bandeira nacional a meia haste. Somos um povo de brandos costumes, matriz cristã, fazer bem sem olhar a quem. Porém independentes, sempre. Em nós ninguém manda, nunca!"
- Sobre a neutralidade portuguesa
in Wikipedia.


7 comentários:

ROADRUNNER disse...

Que a terra continue a ser-lhe pesada.
Saudações!

Kaos disse...

As sauidades que não deixou e que por lá fique enterrado para sempre num qualquer inferno.
bjs

migvic disse...

A culpa foi nossa, que só tivemos coragem de fazer o 25 de Abril depois de ele ter morrido.
Covardes que nós somos, basta olhar para a actualidade.
Veja-se o exemplo dos Franceses e Ingleses quando discordam com os seus governos : Lutam
Nós cá até achamos bem tudo.

Jorge G disse...

Excelente conjunto de asserções de um dos maiores éspotas europeus.
algumas, muitas mesmo, destas frases ainda me recordo de o ouvir pronunciá-las, ao vivo e a preto-e-branco como sempre foi a sua vida e política.
Era a figura do pai tirano, que não hesitava em mandar matar oe fechar os olhos, fingindo que nada sabia.
responsável pela degradação da vida dos portugueses e do seu atávico atraso cultural, de que ainda sofreremos as consequências durante várias gerações.
Salazar foi um anjo negro que pairou sobre Portugal.
Dentro do seu coração, havia uma pedra e não o pulsar do sangue que faz dos homens seres vivos, à semelhança dos outros animais.
Dentro da cabeça, apenas a miserável convicção de que Portugal podia viver e subsistir só, olhando para dentro e voltando as costas ao mundo.

Um abraço, Mariazinha.

Jorge G (sabes quem sou, não sabes?)

Mariazinha disse...

Jorge G

Muito obrigado pelo post mas não estou a ver quem és...
Têns blog?
Vai dando noticias
Um abraço

jotadias disse...

Ouvi falar em Álvaro Cunhal ainda jovem, bastante jovem, a meu pai e tio materno, que, tal como ele sofreram na carne (e as respectivas famílias) a pata tirana, fascista, desumana, cruel, cobarde e assassina desse éspota. Cunhal era um Senhor, inteligente, amigo do amigo e acima de tudo um Homem de caracter.

Em relação ao "programa" "Grandes" Portuguesas é a prova provada da nossa (deles) falta de ideias e de quererem mascarar a História, de a preverter, de a guardar e não de a divulgar como ela foi.

Tenho pena dos incautos, dos ignorantes (infelizmente ainda os há) que se deixam levar por este tipo de televisão, que se deixam enganar por senhores/as neo-liberais de raiz profundamente fascizante, pessoas que em vez de enaltecerem os homens e mulheres, que às garras do ditador, morreram ou ficaram para sempre com mazelas físicas e/ou psicológicas, preferem dar azo à sua condição de pessoa-bem, de alguem que à conta do sistema (este ou o antecessor) vão vegetanto pelo Mundo, essa gente para mim não vale nada.

Não te esqueças de ir votar SIM

BFS

herético disse...

gratíssimo pela tua vista. e pela tua solidariedade. é bom saber que não estamos sós.

aceita um beijo, Mariazinha!