Vamos

quinta-feira, maio 24, 2007

Tá-se cool na margem sul!

Pessoal, após alguns dias de ausência, falta de tempo e pouca paciência, eis que um ministro do meu país me tirou do sério! Nem encontro palavras para qualificar o discurso sobre um futuro aeroporto na margem sul. Será que esse mentecapto sabe que o que diz? Pelos vistos não.

Na margem sul existe:

-A Região de Turismo da Costa Azul

É um organismo público regional com funções, responsabilidades e intervenções na área do turismo. Fundada em 1985 abrange uma área correspondente ao território de 13 diferentes municípios.
A nossa geografia tem como grandes referências parte significativa da Área Metropolitana de Lisboa e o Alentejo Litoral.
Na nossa geografia de treze municípios, nove situam-se entre o Tejo e o Sado: Almada, Seixal, Moita, Barreiro, Montijo, Alcochete, Palmela, Sesimbra e Setúbal. Quatro no Alentejo Litoral: Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines.
Quatro referências maiores "marcam" esta geografia: o Tejo (Almada, Seixal, Moita, Barreiro, Montijo e Alcochete); o Atlântico (Almada, Sesimbra e Setúbal); o Sado (Setúbal, Alcácer, Grândola e Santiago) e o Alentejo Litoral (Alcácer, Grândola, Santiago e Sines).
Os principais produtos turísticos da Costa Azul (as ofertas do turismo) são: o sol e o mar, o golf, e as reuniões e os congressos.
Com um menor nível de desenvolvimento (na óptica do turismo) temos a natureza e o ambiente, a rota de vinhos, a gastronomia, o património e os eventos populares e culturais.
A Costa Azul é um destino turístico que se desenvolve em torno de uma marca que remete para um destino de sul com um forte peso de litoral (o Atlântico, dois rios - o Tejo e o Sado - e ainda Lagoas e Barragens), e um encontro de geografias (o sul da Área Metropolitana de Lisboa com o litoral do Alentejo) e o interior (planície) com o litoral (rios e mar).
Sr. Ministro em que país vive? Que vergonha, alguém ponha ordem nesta bandalheira.

7 comentários:

Ferroadas disse...

Este sr. Lino depois de beber uns copos e sanifar umas cachimbadas, o que costuma fazer de manhã, depois, bem depois só lhe sai trampa.

aflores disse...

Finalmente começo a achar graça a este governo. É que em momentos difíceis conseguem que eu tenha vontade de rir. ;)

Savonarola disse...

Bela lição a estes políticos de pacotilha. Mas será que, além de terem tirados os supostos cursos superiores de que tanto se orgulham, estudaram?
Um abraço anarquista

Anónimo disse...

ESTREIA-DEBATE NO CINE-TEATRO MUNICIPAL JOÃO MOTA

O FILME PORTUGUÊS
"WAITING FOR EUROPE"
VAI ESTREAR EM SESIMBRA
A 16 DE JUNHO,
PELAS 21.00 Horas
COM A PRESENÇA DA REALIZADORA CHRISTINE REEH


O filme português “Waiting for Europe”, realizado por Christine Reeh e produzido pela C.R.I.M Produções, vai ter uma estreia-debate, com a presença da realizadora, em Sesimbra, no Cine-Teatro Municipal João Mota, dia 16 de Junho, ás 21.00 horas, com o apoio da Câmara Municipal de Sesimbra.

Participam no painel-debate, para além da realizadora Christine Reeh, o Dr. Rui Marques, Alto Comissário para a Imigração e Minorias Étnicas, a Dra. Inês Fontinha, Secretária Geral do Ninho, a Dra. Eva Bacelar, da Procuradoria Geral da República e Presidente da Secção Portuguesa do Congresso dos Antigos Funcionários da União Europeia, a Dra. Marina Kolarova, da Associação Portugal-Bulgari, o Prof. Jorge Malheiros, da Faculdade de Letras de Lisboa e a Dra. Maria Cristina Santinho, do ISCTE.

A C.R.I.M Produções, abriu um concurso de crítica ao filme, aberto a estudantes do ensino secundário e superior, e o Banco Espirito Santo, abriu um concurso de crítica ao filme, para imigrantes.

“Waiting for Europe” (À Espera da Europa”), ganhou o Best International Documentary no Festival "The New York International Independent Film and Video Festival" (apresentação de Los Angeles) e está seleccionado para a competição em Nova Iorque, em Julho, e, também para a competição do European Documentary Film Contest (Huesca).




O filme rodado em Lisboa, Alcalá de Henares, Sofia e Blavoegrado, acompanhou durante dois anos, Vânia, uma imigrante do leste europeu em Portugal e Espanha. Trata-se de um retrato intimista sobre a imigração feminina.


“Waiting for Europe”, rodado em três países, Portugal, Espanha e Bulgária, foi produzido com o apoio do Instituto de Cinema, Audiovisual e Multimedia (ICAM), da RTP, do Ministério da Cultura, dos Médicos do Mundo, da Universidade de Alcalá de Henares , da Universidade Fernando Pessoa, da Câmara Municipal de Blavoegrado, do Instituto de Cinema Búlgaro, da PROFILM (Bulgária) e da Associação Aibebalcan em Espanha.


O ACIME (Alto Comissariado para a imigração e Minorias Étnicas), o Banco BES (www.bes.pt /novos residentes), a Federação Portuguesa dos Cineclubes, Associação Bulgari, e as câmaras municipais, colaboram nas estreias-debate a realizar em Portugal.
A Universidade de Alcalá de Henares, vai promover um conjunto de estreias-debate do “Waiting for Europe, em colaboração com outras Universidades espanholas.


As últimas estreias-debate do filme, foram realizadas, no Auditório da Faculdade de Ciências Socias e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Centro de Estudos de Migrações e Minorias Étnicas) a 3 de Maio, em Monção a 27 de Abril, em Vila Real de Santo António, no Centro Cultural António Aleixo, a 26 de Maio.

O filme foi ainda estreado no Luxemburgo, a 8 de Maio, na Cinemateca de Luxemburgo, numa iniciativa conjunta da ASTI (Association de Soutien aux Travailleurs Immigrés) e da Cidade de Luxemburgo, com o apoio das duas centrais sindicais, da Associação de Amigos do 25 de Abril e ainda de associações de imigrantes portuguesas e búlgaras.


A revista "Cinema" da Federação Portuguesa dos Cineclubes, na sua edição Abril-Junho, nº37, publica um dossier sobre o "Waiting for Europe", que inclui uma entrevista a Christine Reeh, um artigo de André Martins, uma critica de Marta Mikolajczak, filmóloga polaca e um texto crítico de Paulo Duarte Teixeira, Presidente da Associação Jurídica do Porto e Magistrado Judicial. Na capa, Christine Reeh.




C.R.I.M Produções
Telf./Fax.218463284
Tm.918719003
crimproductions@netcabo.pt

rebirth disse...

Mais um licenciado pela Independente?
O palhaço devia atravessar a ponte 25 de Abril em hora de ponta.

salurbano disse...

O MINISTRO “KALINAS” E “O POÇO DA OTA”

Como é que os portugueses se divertiam se não existisse em cada governo pelo menos um “ministro Kalinas”?
Este por acaso tem mais do que um !
Os desertificados deste país que também possui eminências cinzento pardas, exigem para o futuro que “jamais” se esqueçam de compor também os novos governos com algums “ministros kalinas” para aumentar a nossa moral.
Atenção ! É necessário impor pelo menos uma condição. É preciso capá-los primeiro para que eles não nos continuam f…r, ou enganar. Dá tudo no mesmo.
Por agora só estou a pensar no trabalho que vão ter para tirar os aviões do poço da Ota.

Àfrica Sul Sariana, 19 de Junho de 2007

SAL URBANO (Em férias)

C Valente disse...

passei para dizer olá
saudações amigas