Vamos

quarta-feira, dezembro 13, 2006



Vivemos num mundo cada vez mais egoísta, onde o materialismo impera e onde certos governos descuram os mais desfavorecidos. Ora cá na terrinha tornou-se cada vez mais "normal" a tão famosa caridadezinha substituir-se ao dever do estado.

Ao ler os jornais diários os exemplos não faltam:

Prenda de 50.000 Euros para hospital

Vitor Baía participou ontem numa acção de solidaridade no hospital de crianças Maria Pia, no Porto, onde doou um equipamento de estudos urodinâmicos. Contando com um grande desconto da empresa Tepel, foi possível obter o dito aparelho.

Digam-me meus senhores para onde vão os nossos impostos?

Vão de certeza para pagar o bacalhau com natas que o Sr. Ministro da Defesa ofereceu ao comandante francês no Líbano. Para mostrar o que não somos já há dinheiro a rodos, maldita vaidade lusitana!

O Poema da Paz

O dia mais belo? Hoje

A coisa mais fácil? Equivocar-se

O obstáculo maior? O medo

O erro maior? Abandonar-se

A raiz de todos os males? O egoísmo

A distração mais bela? O trabalho

A pior derrota? O desalento

Os melhores professores? As crianças

A primeira necessidade? Comunicar-se

0 que mais faz feliz? Ser útil aos demais

0 mistério maior? A morte

0 pior defeito? O mau humor

A coisa mais perigosa? A mentira

0 sentimento pior? O rancor

0 presente mais belo? O perdão

0 mais imprescindível? O lar

A estrada mais rápida? O caminho correto

A sensação mais grata? A paz interior

0 resguardo mais eficaz? O sorriso

0 melhor remédio? O otimismo

A maior satisfação? O dever cumprido

A força mais potente do mundo? A fé

As pessoas mais necessárias? Os pais

A coisa mais bela de todas? O amor

Madre Teresa de Calcutá

13 comentários:

ROADRUNNER disse...

Não estou contra a doação do Vítor Baía. Infelizmente quando o Estado não cumpre ou não pode cumprir os seus deveres, se tivermos alguém que vá dando umas "esmolas" tanto melhor.
Saudações!

Kaos disse...

Todos os dias milhões são gastos em coisa nenhuma para depois não haver dinheiro para quase nada de importante. É assim, manda quem pode e sofre quem não merece.
bjs

Fernando disse...

Ser solidário é das melhores qualidades que um ser Humano pode ter.
Infelizmente, quando o estado não cumpre terão que ser os privados. Quem me dera a mim que aparecesse algum Vitor Baia e fizesse com que o "meu" centro de saúde não fecha-se.
Saudações

Anónimo disse...

Este mundo anda ao avesso é o que é. Boa semana.

Chanesco disse...

Belo post.
Nesta quadra em que o Pai Natal vermelho Coca Cola incentiva ao consumismo vale a pena evocar Madre Teresa.
Essa sim era um verdadeiro Pai Natal.

Saudações Raianas e votos de BOAS FESTAS!!

Savonarola disse...

Assino por baixo. Sou absolutamente contra a "caridadezinha". O Estado - apesar de, na minha concepção anarquista, ser absolutamente dispensável - tem obrigações para com os cidadãos. Uma delas, senão a prioritária, é proteger os desfavorecidos. Todos!
Um abraço

Anónimo disse...

Ora aqui temos uma mulher que eu admirei e muito. Mas infelizmente as pessoas comtinuam muito mais interessadas numa outra que morreu no mesmo ano que ela, E que triste e tudo isto.
Seja considerada Santa pela ICAR, ou nao, para mim ja e uma "Santa Mulher".

Um abraco de Boas Festas.

Kaos disse...

Um Bom Natal para ti e para todos os teus
bjs

Emilia disse...

Faço voluntariado na APFADA(Alzheimer) e encontro poucas portas abertas à solidariedade. Se neste Natal houvesse menos consumismo e mais solidariedade, seria, sim, um Natal melhor.Quantas Madres Teresas precisavam os mais pobres deste mundo!
Um abraço grande e um Natal Feliz para ti e teus.

PiresF disse...

Que o verdadeiro espírito de Natal, nesta época de partilha de coisas boas, prevaleça com infatigável desejo na nossa amizade e, num golpe de gesto redondo repleto de magia, deixo-te um cabaz de aromas, esperança, felicidade e um voto para que sempre o amor te inunde com a sua companhia.

Boas Festas!

PiresF

blitzk disse...

Um Feliz Natal e um 2007 em Grande
cumprimentos =)

jotadias disse...

A caridade é a coisa mais humilhante das sociedades actuais.

Sou contra a caridade. O mundo gere riqueza mais que suficiente para não ser necessária a caridade. Basta os homens quererem.

Bom Natal

DE PROPOSITO disse...

Plenamente de acrodo com os teus pontos de vista. E muito mais havia a dizer. Como é Natal, as vozes não chegam ao céu.
fica bem.
Manuel